Domingo, 31 de Outubro de 2004
Belenenses 1 - Boavista 2

Belenenses: Marco Aurélio; Amaral, Rolando, Pelé e Cristiano; Andersson, Rúben Amorim (Tuck, aos 87min) e José Pedro; Juninho Petrolina, Antchouet e Brasília (Rodolfo Lima, aos 74min)


Treinador: Carlos Carvalhal


Boavista - Khadim; Cadú, Éder e Carlos Fernandes (Jorge Silva aos 77min); Frechaut, Tiago e André Barreto (Milhazes, ao intervalo); Martelinho, Toñito (Cafú, ao intervalo) e José Manuel; João Pinto


Treinador: Jaime Pacheco


O Boavista averbou mais uma grande vitória fora de casa, desta feita diante do Belenenses. Jaime Pacheco apostou num 3-4-3, com Toñito a assumir o papel de organizador de jogo e Zé Manel e Martelinho encarregados de preencher os dois flancos. Frechaut auxiliava, por vezes, no lado direito, à semelhança de Tiago. O BFC não podia ter entrado melhor no encontro, inaugurando o marcador logo aos 6min, na sequência de uma excelente jogada: João Pinto fez a abertura para Frechaut, que, dentro da grande área, cruzou para o portentoso remate de primeira de André Barreto. Todavia, o tento não tranquilizou a equipa "axadrezada", que acabou por sofrer, poucos minutos depois, o empate num lance de contra-ataque. Sobre a primeira parte, é importante referir que foi muito bem disputada, com bom futebol de ambas as partes, com destaque para uma perdida de Zé Manel diante de Marco Aurélio. O intervalo chegava com uma igualdade justa, mas uma possível vantagem boavisteira não escandalizaria. No segundo tempo, manteve-se o equilíbrio até à expulsão de José Pedro. Destaque para a muito boa actuação de Martelinho. A partir daí, o Boavista, agora com João Pinto como organizador de jogo, atrás de Cafú, assumiu o controlo da partida. O Belenenses defendia com toda a equipa atrás da linha da bola, procurando lançar alguns contra-ataques. O BFC tentou fazer a circulação de bola e Cafú, após passe de JVP, perante Marco Aurélio não conseguiu fazer o 1-2. Com a entrada de Jorge Silva para o lugar de Carlos Fernandes, passando Milhazes para lateral-esquerdo, o BFC passou a jogar de forma mais directa, chegando mesmo ao golo, quase no "cair do pano": arrancada de Zé Manel pela esquerda, Marco Aurélio desvia o cruzamento e Tiago, à entrada da área, dispara para o golo da vitória. Vitória justa do Boavista num excelente espectáculo de futebol, mostrando maior organização no ataque e protagonizando algumas jogadas de envolivmento ofensivo de grande qualidade. Esperamos que, a jogar em casa, o BFC mantenha a mesma tendência positiva envidenciada nos encontros fora de portas.



publicado por pjmcs às 21:43
link do post | comentar | favorito

1 comentário:
De Anónimo a 4 de Novembro de 2004 às 18:06
o golo do barreto foi, sem duvida o golo e a jogada da jornadagcc
</a>
(mailto:s@mail.com)


comentar artigo