Quinta-feira, 19 de Julho de 2007
Vizela 2 - Boavista 1

Equipa da primeira parte

Equipa da segunda parte

O Boavista perdeu, ontem à tarde, em Vizela, naquele que foi o primeiro jogo dos "axadrezados" nesta pré-época. Apesar da derrota (com dois golos que revelaram a necessidade de reforçar o sector defensivo "axadrezado"), o Boavista deixou, aqui e ali, alguns apontamentos positivos, ainda para mais tendo em conta que o plantel apenas leva 10 dias de trabalho. Diakité, pela eficácia no jogo aéreo e capacidade de colocar a bola, sem perder tempo, nos companheiros de equipa do meio-campo ou da ala esquerda, Laionel, pela irreverência que mostrou, procurando sempre ter a bola, arriscando o um-para-um e animando, assim, o jogo ofensivo boavisteiro, e Milan Gajic, porque tentou pegar na condução da iniciativa ofensiva boavisteira, revelando boa visão de jogo e precisão no passe, foram os elementos mais em destaque na equipa do BFC, dando, desta forma, algum ânimo às hostes "axadrezadas". Nota-se, no entanto, que ainda há muito trabalho pela frente: a descoordenação táctica do meio-campo (com Fleurival e Diakité a ocuparem o mesmo raio de acção e Gajic a ter de se desdobrar entre a posição de interior-esquerdo e as "costas" de Edgar e Fary) no final do encontro é um exemplo disso mesmo. Todavia, viu-se, na equipa, uma maior preocupação em jogar o esférico junto ao relvado (ao invés do jogo directo que, muitas vezes, predominou na época passada), explorando as alas: algumas combinações pelo flanco esquerdo (primeiro com Mário Silva, Grzelak e Essame e, depois, com o mesmo Mário Silva, Gajic e, quando descaía para esse flanco, Laionel), as diagonais de Edgar e as iniciativas do Laionel constituem os pontos mais positivos da exibição de ontem do Boavista. Pela negativa, há a realçar a lentidão dos dois centrais, a fraca capacidade posicional de Marquinho e as lacunas no último passe (Linz, na primeira parte, raramente foi servido em boas condições).

O golos do encontro surgiram na segunda parte. O Boavista abriu o marcador logo aos 40 segundos, com uma entrada, de rompante, de Ricardo Silva, que, de cabeça, deu o melhor seguimento a um canto de Laionel (canto esse que resultou de uma iniciativa do extremo brasileiro pela direita). O Vizela repôs a igualdade aos 20 minutos da segunda parte, aproveitando uma falha de marcação de Marquinho na esquerda, e, aos 34 minutos, consumou a "reviravolta" no marcador, com um golo algo bizarro, em que o jogador do Vizela aproveitou uma bola largada por Carlos.

Análise individual aos jogadores do Boavista:

Peter Jehle - Jogou a primeira parte e a verdade é que não teve grande trabalho. Mostrou segurança nos cruzamentos.

Marquinho - Alternou o melhor com o pior. Esteve impecável no jogo aéreo e mostrou grande vontade, participando, sobretudo na primeira parte, em muitos dos ataques do Boavista. No entanto, revelou as já tradicionais dificuldades no posicionamento, que valeram, como já foi dito, o golo do empate ao Vizela.

Ricardo Silva - Elemento mais experiente do sector defensivo, foi muitas vezes solicitado pelos companheiros de sector para surgir, juntamente com Diakité, na primeira fase de construção de jogo. Errou alguns passes, é certo, mas cumpriu razoavelmente bem essa tarefa. A defender, revelou alguma lentidão (nota-se que ainda precisa de mais jogos nas pernas para atingir a sua melhor condição física), mas compensou essa lacuna com um sentido posicional irrepreensível, além de ter sido importante nas "dobras" que efectuou ao seu colega no eixo da defesa, Bruno Pinheiro. Foi ele que apontou o golo do BFC.

Bruno Pinheiro - Não teve, claramente, uma tarde feliz. Se, no jogo aéreo, não se lhe podem apontar falhas, a verdade é que perdeu muitas vezes nos duelos físicos com os elementos do sector mais adiantado dos vizelenses, além de ter revelado algumas hesitações sempre que tinha a bola nos pés.

Mário Silva - Ao contrário de Marquinho, não concedeu grandes veleidades ao flanco direito do ataque da formação da casa. Participou em algumas triangulações, combinando bem com Grzelak e, na segunda parte, com Gajic. Além disso, "encostou" no centro da defesa em algumas ocasiões, dando um importante auxílio a Bruno Pinheiro. Uma actuação segura, em suma, do capitão boavisteiro.

Diakité - Foi, como referido logo no início desta análise, um dos melhores em campo. Imperial no jogo aéreo (ganhou todos os duelos de cabeça, colocando a bola, quase sempre, em companheiros do meio-campo ou do ataque), mostrou ser uma opção de qualidade para o "vértice" mais recuado do meio-campo. Raramente errou um passe e revelou bom sentido táctico. Desceu de produção na segunda parte, uma vez que, fruto da "coexistência" em campo com Fleurival (jogador com características similares), foi, por vezes, obrigado a subir no terreno, sentido-se, claramente, menos à vontade. Parece ser um dos reforços mais importantes deste Boavista 2007/2008.

Gilberto - Jogou como médio-interior direito e mostrou ser um jogador extremamente raçudo. Nunca deu por perdido um lance, o que lhe valeu várias recuperações de bola. Deu, também, uma importante ajuda a Marquinho (compensando as frequentes subidas do lateral brasileiro). No entanto, mostrou pouca imaginação e criatividade sempre que tinha a bola nos pés, apostando quase sempre no passe curto para Hugo Monteiro ou Diakité.

Essame - Jaime Pacheco colocou-o nas funções de médio-interior esquerdo, mas com liberdade para jogar no apoio ao trio da frente. Flectiu, várias vezes, para o flanco esquerdo (aproveitando as diagonais interiores de Grzelak) e, regra geral, os seus passes foram direccionados para Grzelak e Mário Silva. Teve uma actuação globalmente positiva, embora tenha revelado pouco esclarecimento no último terço do terreno, conclusindo com soluções erradas algumas iniciativas ofensivas do BFC.

Hugo Monteiro - Demasiado individualista, "agarrou-se" excessivamente à bola. Se, numa ou noutra situação, conseguiu desequilibrar, a verdade é que não mostrou nem a objectividade nem a velocidade suficientes para dar profundida ofensiva ao flanco direito "axadrezado". Terá de melhorar o sentido de jogo colectivo se quiser ser opção regular para Jaime Pacheco.

Roland Linz - Teve uma tarde algo ingrata, uma vez que raramente foi servido em boas condições. Lutou muito, mas pouco mais foi possível ver.

Grzelak - Entrou mal na partida, não conseguindo fazer uso da sua capacidade no drible para criar espaços. No entanto, acabou por subir de produção, mostrando alguns dos atributos que fizeram dele um dos melhores jogadores do Boavista na temporada transacta. Ajudou Mário Silva a fechar o flanco esquerdo e criou alguns desequilíbrios no flanco direito vizelense no último quarto-de-hora da primeira parte, que, no entanto, não foram devidamente aproveitados por Essame.

Carlos - Ainda está longe da melhor condição física, o que ficou bem patente no lance do segundo golo vizelense, em que, depois de largar uma bola, não foi suficientemente lesto para se antecipar à recarga.

Fleurival - Jogou como médio-interior direito e, após uma período inicial em que se revelou algo desorientado, acabou por registar uma actuação positiva. A sua compleição física é um argumento muito importante nos duelos a meio-campo, o que lhe permitiu algumas recuperações de bola. Acabou por se soltar na fase final do jogo, surgindo no apoio ao ataque na tentativa de restabelecer a igualdade no desafio. É um jogador a rever.

Milan Gajic - Nos 45 minutos em que esteve em campo, deixou apontamentos muito positivos. Não teve receio em assumir a condução do jogo ofensivo do Boavista, emprestando maior visão de jogo ao meio-campo "axadrezado". Tem um bom pé esquerdo, que lhe permitiu gizar algumas aberturas de qualidade. Exagerou, por vezes, nas iniciativas individuais, perdendo algumas bolas em zona comprometedora, o que lhe valeu uma chamada de atenção por parte de Pacheco.

Laionel - uma agradável surpresa. Muito irrequieto, pediu imensas vezes o esférico, arriscando nos duelos individuais com os laterais adversários, recorrendo à sua velocidade e poder de finta. Foi um dos melhores em campo, embora tenha que, em algumas situações, saber soltar a bola mais cedo. Ganhou pontos na "corrida" por um lugar no "onze".

Edgar - Ainda está algo pesado, mas nota-se que a qualidade... está lá. Não explorou muito as faixas, preferindo actuar nas "costas" do ponta-de-lança Fary, procurando, com diagonais (recorrendo à sua qualidade técnica para evitar o desarme), criar desequilíbrios. No entanto, precisa de mais velocidade para ser realmente perigoso nesses movimentos de ruptura.

Fary - Foi melhor servido que Linz, mas, ainda assim, não teve grandes oportunidades para mostrar serviço. Mostrou, surpreendentemente, pouca mobilidade e não teve grande discernimento sempre que tinha a bola nos pés.

O onze "axadrezado" que iniciou a partida (da esquerda para a direita: Hugo Monteiro, Grzelak, Bruno Pinheiro, Diakité, Gilberto, Linz, Essame, Marquinho, Ricardo Silva, Jehle e Mário Silva)

Jaime Pacheco, momentos antes do início do encontro

Edgar

Rafal Grzelak em acção

Mourtala Diakité, no seu primeiro jogo ao serviço do Boavista, um dos melhores em campo

Gajic, Laionel, Fleurival, Edgar e Fary preparam-se, ao intervalo, para entrar no jogo

Milan Gajic

 

Laionel, uma das boas surpresas, até agora, da pré-época

 

O próximo teste do Boavista tem lugar no próximo sábado, pelas 17:30, no jogo de apresentação da equipa local (que milita na 2.ª Divisão Nacional).



publicado por pjmcs às 19:52
link do post | comentar | favorito
|

3 comentários:
De Julio Gonçalo a 19 de Julho de 2007 às 23:00
Excelente informaçao aos Boavisteiros! Só uma pergunta, quantos remates á baliza fez o BOAVISTA á baliza adversaria? Obrigado


De pjmcs a 21 de Julho de 2007 às 13:30
Não tenho a certeza, mas acho que terá feito 7 remates (2 na primeira parte, 5 na segunda), sendo dois deles entre os postes (ambos na segunda parte).

Saudações axadrezadas,

PJMCS


De Portland a 21 de Julho de 2007 às 02:51
Excelente post sobre o jogo de Vizela. As fotos estão espectaculares!!

Abraço!


comentar artigo

Próximos Jogos

Sp. CovilhãxBoavista

(25/01; 16:00) - 15.ª Jornada

artigos recentes

Boavista FC 2 - 0 Estoril

Santa Clara 3 - Boavista ...

Boavista FC 2 - 0 U. Leir...

SC Freamunde 2 - 0 Boavis...

Boavista FC 1 – 2 SC Beir...

BOAVISTA FC 0 - 2 GUIMARÃ...

Feirense 2 - 0 Boavista F...

Boavista FC 1 - 0 Oliveir...

BOAVISTA FC 1 - 0 LOUSADA

Boavista FC 1 - 1 D. Aves

Imagens Recebidas
Galeria de Imagens
arquivos

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Abril 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Janeiro 2004

ligações

pesquisar