Sexta-feira, 29 de Setembro de 2006
Belenenses X Boavista - Antevisão

Equipas prováveis:

Belenenses – Costinha; Sousa, Gaspar, Nivaldo e Rodrigo Alvim; Rúbem Amorim e Mancuso; Cândido Costa, Roma e Silas; Dady

Treinador: Jorge Jesus

Suplentes: Marco Gonçalves, Rolando, Gonçalo Brandão, Pinheiro, Eliseu, Fábio Januário e Manoel 

Boavista William; Bessa, Hélder Rosário, Cissé e Mário Silva; Tiago e Kazmierczak; Zairi, Ricardo Sousa e Zé Manel; Roland Linz

Treinador: Zeljko Petrovic

Suplentes: Peter Jehle, Ricardo Silva, Fernando Dinis, Essame, Lucas, Grzelak e Fary

Depois dos espectaculares 3-0 ao Benfica, o Boavista acabaria por desiludir nas duas jornadas seguintes, somando apenas um ponto no somatório de dois encontros frente a equipas aparentemente acessíveis, com a agravante de a qualidade do seu futebol ter diminuído consideravelmente. Amanhã, pelas 21 horas, os "axadrezados" terão, no sempre difícil Estádio do Restelo, a oportunidade de fazer esquecer os últimos dois jogos e voltar aos níveis de confinça registados após o duelo com o Benfica. Pela frente, terá um Belenenses que ainda não perdeu e que tem mais um ponto conquistado que as "Panteras".

Na conferência de imprensa de ontem, em consonância com o que havia afirmado no rescaldo do empate com a Académica, Zeljko Petrovic deu, claramente, a entender que o "onze" inicial (que foi o mesmo nas quatro jornadas que a Liga até este momento conheceu) poderá sofrer alterações. Uma das mudanças mais prováveis passa pela titularidade de Ricardo Sousa, o que, a verificar-se, implicará ligeiras alterações no sistema táctico: o esquerdino não é um típico médio-interior, mas, sim, um organizador de jogo, pelo que, nas acções ofensivas, terá a tendência para aparecer em zonas mais adiantadas do terreno, em apoio ao ponta-de-lança Linz ou a um dos extremos. A inclusão de Sousa (o qual entrou muito bem frente à Académica, tendo, inclusive, assistido Hélder Rosário para o segundo golo) permitiria emprestar maior criatividade ao meio-campo do Boavista (que, frente ao Setúbal e, até à entrada do sanjoanense, à Académica, denotou imensas dificuldades para fazer a transição do seu jogo para o sector ofensivo, abusando dos passes longos para as alas e para Roland Linz) e maior capacidade para, perante um Belenenses que gosta de resguardar muito bem o último terço do seu terreno, abrir linhas de passe e zonas de penetração nos derradeiros metros do relvado. A confirmar-se a entrada de Ricardo Sousa na equipa, o sacrificado será Kazmierczak ou Lucas (cenário mais provável), sendo que, se Kaz for titular, o polaco jogará com funções ligeiramente diferentes das que tem desempenhado: alinhará ao lado de Tiago no meio-campo mais defensivo (embora com maior liberdade para, fruto do seu forte jogo aéreo, se integrar na manobra ofensiva do que Tiago) e deixará para Ricardo Sousa a responsabilidade de ser o médio mais ofensivo da equipa. No entanto, certamente que Zeljko Petrovic solicitará a Ricardo Sousa que, quando a equipa não tiver a bola em sua posse, recue para o meio-campo, ocupando a meia-direita (se Kaz for titular) ou a meia-esquerda (se Lucas se mantiver na equipa), a fim de que a equipa feche convenientemente os espaços à construção do jogo por banda da formação da casa.

Outras alterações poderão passar pela saída de Ricardo Silva (algo infeliz contra Setúbal e Académica), entrando Bessa para o "onze" e passando Hélder Rosário para o eixo da defesa, e pela inclusão de Zairi, pese embora a menor capacidade defensiva e disciplina táctica do marroquino, em comparação com Grzelak. No entanto, a eventual titularidade, a acontecer, justificar-se-á na perspectiva de fornecer maior imaginação e capacidade de ir à linha para cruzar às faixas do ataque.

Quanto ao Belenenses, Jorge Jesus não deverá alterar o 4-2-3-1 em que tem apostado, com o avançado móvel a Roma a jogar nas "costas" de um ponta-de-lança mais fixo (Dady é o provável titular), de modo a aproveitar os espaços criados no sector defensivo adversário. Outra "nuance" táctica prende-se com a utilização de Silas numa das alas (em princípio, na faixa esquerda), o que lhe permite fazer diagonais para arrastar marcações e, eventualmente, ensaiar o remate ou, em alternativa, abrir espaços na sua rectaguarda para propiciar as subidas do lateral (Rodrigo Alvim). À atenção, portanto, do lateral-direito do Boavista (Bessa ou Hélder Rosário) e, também, do extremo que jogar nesse flanco (Zé Manel ou Zairi). No entanto, o BFC pode aproveitar o facto de o Belenenses apenas jogar com um médio de características defensivas (Rúbem Amorim) - não obstante, face ao castigo de José Pedro, Jorge Jesus poder optar por lançar Pinheiro (médio com grande capacidade de recuperação de bola) em vez de Mancuso (que é um "playmaker", mais à semelhança de José Pedro) - para tentar "partir" a equipa do Restelo em dois blocos (o defensivo e o ofensivo) com grandes dificuldades de ligação e, assim, ter mais posse de bola e dominar o encontro.

Para o encontro de amanhã, em que uma vitória seria extremamente importante, o Boavista terá de apresentar uma melhor ligação entre os diversos sectores, efectuando desdobramentos ofensivos rápidos e eficazes, como fez frente ao Benfica e nos antípodas do que evidenciou contra Setúbal e Académica, em que recorreu demasiadas frente a um futebol directo. Além disso, é essencial que não repita os erros graves de marcação nas bolas paradas da última jornada e não tenha perdas de bola comprometedoras nos sectores defensivo e intermediário, tendo que, para isso, ser rápido e preciso no capítulo do passe. Por outro lado, é essencial que explore ambas as faixas (e não apenas uma delas, como aconteceu frente à Académica, em que canalizou quase todos os seus ataques pelo flanco direito) com grande profundidade, procurando chegar às proximidades da linha final para efectuar cruzamentos e passes atrasados que tragam grandes dificuldades aos centrais adversários. Todavia, como também houve aspectos positivos a reter do último jogo, será fundamental que os jogadores do Boavista apresentem a mesma garra e a mesma vontade, do primeiro ao derradeiro minuto do encontro, que evidenciaram na recepção à Académica.

FORÇA BOAVISTA!!!

 



publicado por pjmcs às 22:15
link do post | comentar | favorito
|

1 comentário:
De The Revolution a 30 de Setembro de 2006 às 03:33
a minha opinião, acho muito arriscado apostar em Zairi, principalmente a jogar fora... Grzelak está muito bem a extremo, pelo menos para já.

A bola precisa é de rolar mais no flanco esquerdo do Boavista... e com isto falo do Mário Silva que tem de subir mais no terreno.

Cumps.


comentar artigo

Próximos Jogos

Sp. CovilhãxBoavista

(25/01; 16:00) - 15.ª Jornada

artigos recentes

Boavista FC 2 - 0 Estoril

Santa Clara 3 - Boavista ...

Boavista FC 2 - 0 U. Leir...

SC Freamunde 2 - 0 Boavis...

Boavista FC 1 – 2 SC Beir...

BOAVISTA FC 0 - 2 GUIMARÃ...

Feirense 2 - 0 Boavista F...

Boavista FC 1 - 0 Oliveir...

BOAVISTA FC 1 - 0 LOUSADA

Boavista FC 1 - 1 D. Aves

Imagens Recebidas
Galeria de Imagens
arquivos

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Abril 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Agosto 2006

Julho 2006

Junho 2006

Maio 2006

Abril 2006

Março 2006

Fevereiro 2006

Janeiro 2006

Dezembro 2005

Novembro 2005

Outubro 2005

Setembro 2005

Agosto 2005

Julho 2005

Junho 2005

Maio 2005

Abril 2005

Março 2005

Fevereiro 2005

Janeiro 2005

Dezembro 2004

Novembro 2004

Outubro 2004

Setembro 2004

Agosto 2004

Julho 2004

Junho 2004

Maio 2004

Abril 2004

Março 2004

Fevereiro 2004

Janeiro 2004

ligações

pesquisar